Tele-Atendimento:
(62) 3223-3943
E-mail:
contato@simego.org.br
Newsletter
Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro de nossas novidades.

SIMEGO participa de audiência pública sobre a crise na Saúde em Goiás 10/05/2019
A crise da Saúde pública em Goiás foi tema de uma audiência pública realizada nesta quinta-feira (9), na  Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. A audiência pública teve como tema o seguinte assunto: "Saúde pública em Goiás: crises e oportunidades”. O evento, uma iniciativa da Comissão de Saúde e Promoção Social e de seu presidente, deputado Gustavo Sebba, ocorreu no Auditório Costa Lima. 

A crise da Saúde pública em Goiás foi tema de uma audiência pública realizada nesta quinta-feira (9), na  Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. A audiência pública teve como tema o seguinte assunto: "Saúde pública em Goiás: crises e oportunidades”. O evento, uma iniciativa da Comissão de Saúde e Promoção Social e de seu presidente, deputado Gustavo Sebba, ocorreu no Auditório Costa Lima. 

 

A mesa diretiva foi composta pelo deputado Gustavo Sebba; o secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino Júnior; o deputado Hélio de Sousa; o superintendente de Regulação da Secretária de Estado da Saúde, Sandro Rodrigues; a diretora técnica do Hospital Materno Infantil, Sara Gardênia; a presidente do Sindisaúde, Flaviana Barbosa; e superintendente de Gestão de Redes de Atenção à Saúde, Silvio José de Queiroz.

 

O deputado Gustavo Sebba  abriu os debates falando sobre a importância do Hospital Materno Infantil (HMI), que corre o risco de fechamento. Opinião compartilhada por todos os presentes.

 

O promotor de Justiça de Cidadania e Saúde do Ministério Público de Goiás (MP-GO), Vinícius Jacarandá Maciel, reconheceu o papel do HMI na rede pública de Saúde. “O Materno Infantil oferece serviços de alta complexidade, UTIs, contudo  apenas uma unidade não é suficiente para suprir toda a demanda estadual. A regionalização do serviço pode ser uma alternativa”, pontuou.

 

O superintendente de Gestão de Redes de Atenção à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, Sílvio Queiroz,  representante da SMS de Goiânia, informou que a pasta tem tomado medidas para desafogar o HMI como por exemplo, o processo de credenciamento para contratação de novos pediatras, contudo, a adesão tem sido baixa. “O objetivo é "pulverizar" a pediatria em 24 regionais da Capital”, afirmou.
 

Compartilhe isso: