Tele-Atendimento:
(62) 3223-3943
E-mail:
contato@simego.org.br
Newsletter
Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro de nossas novidades.

SIMEGO faz gestão junto Secretaria Estadual de Saúde para resolver problemas no Hugo e HDT 17/12/2019

Presidente do sindicato se reuniu com titular da pasta para tratar de problemas nas unidades


O Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (SIMEGO) apresentou junto à Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES) uma série de reinvidicações dos médicos que prestam serviços junto ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT). A presidente do sindicato, Franscine Leão, e o secretário-adjunto do SIMEGO, Paulo Franscescantônio, estiveram na tarde desta terça-feira (17) com o titular da pasta, Ismael Alexandrino, para tratar sobre esses assuntos.

 

No caso do Hospital de Urgências de Goiânia, o SIMEGO tenta minimizar os impactos da transição na organização social que dirige a unidade. O processo tem levado a desencontro de informações, incertezas sobre a continuidade de contratos de trabalho e insegurança jurídica na relação entre médico e administração pública, com a pretensão de transferência dos efetivos para outras unidades.

 

No Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad, os médicos relataram intercorrências como assédio moral, redução do quadro de pessoal, sobrecarga de trabalho, entre outras demandas.

 

Na semana passada, a presidente do SIMEGO esteve reunida com o governador Ronaldo Caiado e levou estes temas para o encontro. Além disso, reivindicou melhores condições de trabalho na rede pública estadual. A busca foi por sensibilizar o governador para questões básicas, relacionadas ao trabalho do médico. O cumprimento e adequações no Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos, com participação do servido médico e das entidades representativas na elaboração das alterações esteve entre os temas do encontro.

 

Além disso, foi levado ao governador a necessidade de adequação da remuneração dos médicos ao piso salarial nacional, sugerido pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam), e de realização de concursos públicos para preenchimento de cargos públicos de médico.

Compartilhe isso: