Tele-Atendimento:
(62) 3223-3943
E-mail:
contato@simego.org.br
Newsletter
Inscreva-se em nossa newsletter e fique por dentro de nossas novidades.

Ronda sindical apura situação do Hospital e Maternidade Dona Iris 13/02/2020

Seguindo o cronograma de rondas sindicais, o SIMEGO vem agindo de forma atuante para estabelecer um contato mais direto com os médicos da rede pública de saúde. Nesta quinta-feira (13), a presidente do sindicato, Franscine Leão, esteve com uma equipe da entidade visitando as instalações do Hospital e Maternidade Dona Iris, na Vila Redenção, em Goiânia. 

 

 

 


Seguindo o cronograma de rondas sindicais, o SIMEGO vem agindo de forma atuante para estabelecer um contato mais direto com os médicos da rede pública de saúde. Nesta quinta-feira (13), a presidente do sindicato, Franscine Leão, esteve com uma equipe da entidade visitando as instalações do Hospital da Mulher e Maternidade Dona Iris, na Vila Redenção, em Goiânia. 


Após a coleta de informações com os médicos que atendem na unidade no ambulatório, emergência, centro de parto, centro cirúrgico, UTIN/UCIN, o SIMEGO detectou que o grande fluxo de pacientes vem sendo um dos principais pontos de questionamento na unidade. Em reunião com o Diretor Técnico do HDMI, Denes Oliveira, o sindicato expôs os relatos dos médicos, sobretudo sobre a lotação da unidade. Segundo a direção do hospital, procedimentos internos estão sendo adotados para aumentar a rotatividade de pacientes.

 

Além disso, o SIMEGO solicitou à gestão a construção do acordo coletivo de trabalho. Agora, um documento será formalizado para ser encaminhado à Secretaria de Estado da Saúde (SES) e à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia relatando a situação na unidade hospitalar e cobrando providências para melhoria das condições de trabalho e atendimento médico.

 

O SIMEGO esteve na unidade para checar se problemas que faziam parte da rotina dos médicos e que foram detectados anteriormente pela entidade haviam sido solucionados. Franscine Leão ressalta que a demanda é antiga. "Iniciamos nossas diligências em 2017 e estamos atuando junto com o Ministério Público Estadual (MPE) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) para melhorar as condições do trabalho médico na unidade", finalizou.

Compartilhe isso: