Tele-Atendimento:
(62) 3223-3943
E-mail:
contato@simego.org.br
Fotos
Pré-ENEM 2008

Na tarde de hoje (19), dando continuidade a XVIII Assembleia anual da Confemel, as palestras foram transferidas para o prédio onde funcionou o Congresso Nacional do Chile. Foram realizadas três apresentações sobre os temas Trabalho médico – rendimento por hora e especialidade, Atividades do Colégio Médico e Ética médica, por representantes do Colégio Médico do Chile.

Trabalho Médico
Rebeca Paiva, do departamento de trabalho médico, falou sobre a tensão sofrida pelos médicos para exercer atividade nas urgências e emergências, distorções da atividade e a baixa valorização do profissional como fatores que desencadeiam problemas de saúde no médico. Paiva expôs também a baixa eficácia nas avaliações de desempenho dos médicos, uma vez que fatores estruturais e outros profissionais da equipe influenciam no desempenho da medicina.

A pressão sofrida diariamente pelo médico e a inversão de valores entre o profissional e a instituição são fatores que necessitam de acompanhamento das entidades representativas, de acordo com Rebeca. “O trabalho médico é para melhorar o atendimento ao doente e não para mudar a história clínica. E os colégios médicos têm o dever de cuidar dos profissionais”.

Prática no Colégio Médico
As características do médico chileno e a questão estrutural e administrativa do funcionamento do colégio medico do Chile foi apresentado por Sergio Rojas, presidente da Fundação de assistência legal do colégio medico do Chile (Falmed).

O Colégio Médico é o principal colégio profissional do Chile e oferece diversas linhas de serviço para os associados, como assistências, clube de campo, fundo de solidariedade e assessoria jurídica. De acordo com Rojas, o Colégio Médico é um diferencial na vida profissional do médico e trouxe avanços na medicina, técnico e em procedimento.

Ética Médica
“Não somos capazes de ser cem por cento certeiros. A medicina não é como a física, é uma ciência e uma arte que tem falhas e problemas”, enfatizou Enrique Paris, presidente do Colégio Médico do Chile, ao falar sobre a ética no desenvolvimento da atividade médica.

A medicina é uma profissão de muitos papeis e tem como princípios educar, investigar e participar da vida do paciente, principalmente na atenção primária. Segundo Paris, os médicos são servidores e devem servir aos pacientes de maneira humanitária.

Ele resumiu a prática médica ética aquela que é idônea, responsável, honesta, compassiva e prudente. “Todo profissional de saúde deve contribuir e ressaltar a beleza e a nobreza da profissão e sua própria dignidade”, concluiu.

 

Fonte: FENAM