Tele-Atendimento:
(62) 3223-3943
E-mail:
contato@simego.org.br
Fotos
Prosseguimento da AGEP do Hugo

O atendimento das consultas médicas aos usuários do Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas) serão paralisadas, por tempo indeterminado,  a partir da zero hora do dia 28 de março de 2016 (segunda-feira). A decisão foi tomada  pelos profissionais durante  Assembleia Geral Extraordinária (AGEP), realizada nesta terça-feira (22), na sede do SIMEGO. Os serviços de urgência, emergência e demais procedimentos  serão mantidos.

Os médicos  reivindicam a quitação imediata das faturas em atraso e reposição das perdas inflacionárias acumuladas nos últimos três anos.

Em janeiro, os prestadores de serviços médicos já haviam paralisado o atendimento de consultas entre os dias 25 de janeiro e 8 de fevereiro. Após intensa negociação com o instituto os profissionais retornaram o atendimento. Entretanto, o acordo firmado entre a categoria e o Imas não foi cumprido: as faturas continuam com  atraso de seis meses.

O presidente do SIMEGO, Rafael Cardoso Martinez,  explica o motivo da suspensão dos atendimentos das consultas aos usuários do Imas. “Infelizmente o que foi acordado entre a categoria e o Imas durante as últimas negociações foi descumprido, desta forma,  os profissionais não tiveram outra alternativa a não ser paralisar novamente o atendimento de consultas eletivas. Esperamos que a situação se resolva o mais rapidamente possível”, finalizou.

O atendimento das consultas médicas aos usuários do Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas) serão paralisadas, por tempo indeterminado,  a partir da zero hora do dia 28 de março de 2016 (segunda-feira). A decisão foi tomada  pelos profissionais durante  Assembleia Geral Extraordinária (AGEP), realizada nesta terça-feira (22), na sede do SIMEGO. Os serviços de urgência, emergência e demais procedimentos  serão mantidos.

Os médicos  reivindicam a quitação imediata das faturas em atraso e reposição das perdas inflacionárias acumuladas nos últimos três anos.

Em janeiro, os prestadores de serviços médicos já haviam paralisado o atendimento de consultas entre os dias 25 de janeiro e 8 de fevereiro. Após intensa negociação com o instituto os profissionais retornaram o atendimento. Entretanto, o acordo firmado entre a categoria e o Imas não foi cumprido: as faturas continuam com  atraso de seis meses.

O presidente do SIMEGO, Rafael Cardoso Martinez,  explica o motivo da suspensão dos atendimentos das consultas aos usuários do Imas. “Infelizmente o que foi acordado entre a categoria e o Imas durante as últimas negociações foi descumprido, desta forma,  os profissionais não tiveram outra alternativa a não ser paralisar novamente o atendimento de consultas eletivas. Esperamos que a situação se resolva o mais rapidamente possível”, finalizou.